BEMVINDO !!!

OFERECEMO-LHE SERENIDADE PARA COMPARTIRMOS SABEDORIA

sexta-feira, 1 de junho de 2018

O JEITINHO DE JOÃO LOURENÇO


Durante a campanha eleitoral, tive aquela curiosidade de descobrir e conhecer um pouco o candidato JLo. Tive a oportunidade de ler sua biografia em diferentes paginas, infelizmente nenhuma delas indicava que JLo falasse francês. Esta (voluntária ou estratégica) omissão criou uma certa perplexidade no meu raciocino, sabendo que o homem passou pelo Congo Brazzaville. E se na realidade, este não domina o francês com qual interesse pretende enquadrar Angola na miserável francofobia; desculpe, diria francofonia.

Hoje só posso agradecer o Presidente da Franca, que confirma aos céus abertos, que o nosso PR entende bem a língua de Molière. Outrossim teria eu uma preciosidade de saber se JLo tem algum domínio linguístico na articulação de um idioma ou língua nacional. Questão de curiosidade e não tribal como a mentalidade diminutiva apetece.

Quase a maioria dos meus colegas oriundos de Malange reclamavam vaidosamente o seu lugar de nascimento (naturalidade) mas o tempo ensinou-me que JLo nasceu em Lobito e não Malange como pretendiam. Espero que não haja mais frustração nos meus fusos mentais confundindo São Paulo e Sambizanga!

Outra coisa; ate aqui, não percebo como se regulou hoje o cenário de JLo como general de reserva de ontem? E quem será ele amanha como já patenteia outros generais que nos seus tempos nomearam defuntos e inauguraram duas vezes as mesmas instituições. Que a grande deputada opinasse livremente.

O que mais aprender? Que os peritos enchem me com mais vesgas informações. Já portanto no passado de uma Angola vivemos e vimos alguém negar oficial e publicamente o seu sangue (Nguituka).

 

Nkituavanga II

sexta-feira, 25 de maio de 2018

PALAVRITAS AO PRESIDENTE


Eu gostaria de dizer poucas palavritas ao Presidente JLo; só pelo fato de ser cidadão da soberania Angolana, direito cujo me oferece a natureza. Eu não aceitaria de capitular na tentativa de lhe endereçar uma letra aberta: pois não tenho um conteúdo volumoso a desaguar na consciência deste dignitário. Redigir uma carta aberta a um dirigente da cleptocracia angolana do passado, me borrifou numa chuvada de ameaços e intimidações de tortura e morte, porque segundo alheios, alcancei o inalcançável e toquei no intocável.

Eu queria dizer-lhe umas palavritas uma vez no passado ''julguei o livro segundo a capa'' e hoje vejo a sua liderança tomar um rumo diferente ao do seu predecessor. Fui entre aqueles que questionavam: ''como poderá ele destruir a corrupção angolana que ajudou a montagem, implementação e instalação?''. Doravante, eu usaria o meu direito natural de escolhe para localizar-me numa postura que permite observar, analisar e expor conclusões construtivas.

Por direito, eu queria dizer ''congratulation'' pela sua eleição ao trono angolano: questão de consciência e patriotismo, já que não é tarde. Hoje, ainda se verifica lacunas no sistema mas agradeço porque assume uma liderança confrontadora, usando um estilo tipicamente africano. Isto incentiva-me escavar no fundo do meu coração umas palavritas para o PR, dizendo: ''coragem e vigilância''

Vigilância porque o MPLA desde 1975 tem criado uma cobra no seu seio. Esta víbora esta na sua maturidade e preparada para em súbito engolir Angola. Também os ''anacondas'' do passado não estão ainda preparados para ''botar o lenço no ringue''. Coragem porque os ''crocodilos'' do tempo não querem admitir que estão vivendo fora da zona confortável e expostos ao público.

Ainda é tão cedo aplaudir pelo sucesso de JLo na direcção governamental, uma vez JES na outrora teve um ''depart presidentiel'' muito positivo; jurando não esquecer nenhuma virgula da politica comunista de Neto, mas que (in)felizmente acabou por inclinar-se num nepotismo exagerado, levando o seu partido num tribalismo totalitário e Angola no calabouço da sua politica da exclusão social.

Caro Excelentíssimo Presidente, Eu vejo em ti um solitário pronto para mudar o destino de Angola, enquanto o resto da nação observa o cenário numa feição de braços cruzados. Vejo um presidente da Republica de Luanda, e que sonha coloridamente como seus precedentes ser PR de Angola. Cautelas! porque consigo há esperança mas o barco do MPLA é completamente desértico!

 
Nkituavanga II

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

A MISSÃO DE JOÃO LOURENÇO: O DILMA ANGOLANO


Descrever a missão de João Lourenço não depende dos estudos feitos nem dos certificados acumulados nas universidades desconhecidas deste mundo desorientado, mas simplesmente de como observar e examinar a situação partindo de uma analise selectiva da lista de membros fieis ao MPLA e também do subconjunto daqueles fieis ao JES. Ė questão de ter a sua cabeça no lugar, paz e liberdade. Só questão de não ser fanático politico.

JLo sairá de forma triunfante como representante do MPLA nas eleições de 2017. O rumo já foi traçado e nada poderá impedir a linha seguir a via pela qual a agulha passou. Assim funciona a premeditação no proletariado.

Actualmente o povo angolano vem gemido devido a miséria, por isso a escolha de JLo tem de ser aplaudido como se fosse a escolha de qualquer outra pessoa, porque Angola precisava uma alternativa fora do clã Eduardista. (Não se tem direito a escolha; ate porque nunca tivemos). Isto evitaria a nação de sombrear caoticamente num estilo político de género dinástico, sabendo também que a outra família já suficientemente torturou os angolanos e Angola. Duvida-se bastante que a escolha de JLo se deve simplesmente a sua bondade e capacidades como dirigente partidário. Não esquecendo que dirigentes do MPLA são sempre digitados; neste alinhado, naturalmente a voz do precedente líder tem sempre um volume e peso incontestáveis. Com certeza houve ''consensos internos'' entre o partido e o digitado, mas também entre o predecessor e o sucessor. Por isso neste âmbito ''a roupa suja se lava em família''. No cumprimento deste cenário baseou-se na fidelidade do digitado perante o protegido, tanto no passado como no futuro. Esta situação faz com que o futuro presidente leva na sua difícil missão uma bagagem podre, que consiste a proteger o ''partante'' com a sua família e seus bens, assim como Dilma actuou no grande Brasil.

Tem o JLo o carisma de um bom líder? A personalidade que Angola precisa para a sua unidade nacional? Tem ele alguma qualidade exigida pela profissão? Tem este homem a consciência de combater a corrupção que ele ajudou arquitectar? Poderá ele um dia recuperar a riqueza angolana que foi delapidada, esbanjada pelos seus protectores, que eram autênticos nepotistas e cleptocratas? Poderá suportar a presença de homens mais ricos que a própria Angola no seu reinado? Terão a paz aqueles que são mais ricos que ele? O único atributo que poderá garantir o sucesso da governação de JLo tem de partir a luta contra a corrupção; do resto será gasto de sabão! A luta contra a corrupção será o principal sinal da boa vontade de servir a nação de forma organizativa. Sabeis! Uma vez é do MPLA para sempre é comunista.

JLo aceitou a pior missão como ''Dilma angolano'', protegendo o incorrecto, ilógico e anormal. Ele é o provável futuro presidente uma vez as eleições do PMLA são vencidas pela força do poder financeiro e fraudes. As eleições angolanas nunca foram/são livres nem democráticas. Tanto no sentido de defender a lógica de ditadores, Omar Bongo do Gabão disse um dia; ''organiza-se eleições em Africa para vence-las''. Ele queria simplesmente dizer que ninguém neste continente organiza eleições para as perder. Já há mais índices provando que JLo será uma autêntica marioneta de JES. Para que isto deixe de acontecer, ele deve se desmarcar totalmente das grandes linhas do MPLA de JES e optar pela ideologia do MPLA de Neto misturando algumas exigências da Unita, ou estabelecer uma outra via, quase impossível. Ele deve precisar de cortar a corda umbilical da incompetência do seu partido mas isso vai provocar numerosos inimigos nas suas peugadas e feridas quase incuráveis.

Na verdade herdou um barco furado no meio do mar perturbado, onde os ocupantes são ricos, armados cuja maioria não sabe nadar. Ele tem um osso duro para roer! Por isso precisa de dentes afiados. Contudo o homem também já amassou uma boa fortuna.

JLo poderá inserir mudanças na sua politica uma vez eleito (premeditado). Isto só lhe seria possível se não sofrer influências de JES, mas este, não está ainda disponibilizado para abandonar o mundo dos vivos. Mesmo se desaparecer a sua sombra risca de ficar eternamente no seio do seu partido. Será que JES com sopro da vida vai permitir que o seu bolso pessoal (Angola) seja controlado por um alheio? E será que JLo está ajeitado ajoelhar-se constantemente diante dos poderosos Isabel e Sindika? Para dirigir Angola após JES é preciso ser imperativamente um verdadeiro homem, e resta a provar se JLo será autêntico homem. Ele deve recusar de funcionar como fotocopia de JES, tem de provar a sua própria natureza, características, competências etc. Ele tem escolhas a fazer e decisões a tomar, mas saibam que Angola já não precisa mais demónios na sua cadeira presidencial e oremos que JLo seja o tal Anjo que se necessita.

Ate aqui tudo indica que JLo restará parte da farinha do mesmo saco. Por isso quem tem ouvidos e sabedoria, que vote pela alternância!

 

Nkituavanga II

sábado, 5 de agosto de 2017

QUEM QUISER MISERIA QUE VOTE PELO MPLA!

 O que eu saiba, cada cidadão angolano devidamente identificado, socialmente e politicamente apto tem direito de eleger ou ser eleito conforme estipula a constituição, uma vez que reúne as exigências desta. Em Angola se persiste falando teoricamente das eleições livres e democráticas não só para fintar a opinião internacional mas também para manipular a consciência angolana e torna-la cativo do sistema. Voila! mais uma vez Angola vai desperdiçando milhões de dólares nessas eleições premeditadas, arquitectadas com um vencedor digitado, antecipado e pre-eleito quando o povo continua lacrimejando com dores e angústia no padecimento.

Creio que faço parte dos poucos angolanos que não admitiram suas capacidades de percepção, raciocino e expressivo fossem monopolizadas, nacionalizadas e corrompidas, por isso tenho usado todos os poderes que me foram divinamente conferidos para compartilhar as poucas ideias com patrícios da terra. A minha opinião só pode ferir aqueles que escolheram a via de viver e operar em cima da lei, que produzem fora das normas e dos que são classificados como lambebotas.

Neste precioso momento os angolanos devem ter esta interrogação flutuando sua consciência. Sabemos que a história do nosso povo tem sido completamente e totalmente deturpada portanto a verdade nunca muda de cor. Felizmente existem ainda angolanos que detêm ou testemunharam a verdadeira verdade. Vejamos uma coisa: desde 1975 ate hoje, Angola foi e continua sendo dirigida pelo poderoso MPLA. Este com o qual conhecemos varias fases, partindo do período da instalação ideológica ao proletariado, das guerras e lutas, do colonialismo ao comunismo, da dita democracia a cleptocracia. Essas transições constituíram a cronologia da nossa falsificada história de 42 anos de sofrimento. Durante 42 anos tivemos 2 presidentes do MPLA: Agostinho Neto (1975-1979) e José Eduardo dos Santos (1979 ate o presente). O primeiro viu encurtado seu mandato com um saldo negativo mas justificado e o segundo adicionou mandatos por mandatos também tendo saldos sucessivamente negativos e assombrados. Sub a direcção do MPLA Angola viveu longos tempos do comunismo, onde a palavra eleição não constava no dicionário da sociedade. Na ideologia do MPLA, a visão incontestável é dirigir eternamente sem oferecer brechas a qualquer outro partido para contribuir a edificação de uma Angola nova e prospere. Assim continua labutando para findar com outros partidos históricos, tanto emergentes, excluindo também outras tribos que não acatam sua mentalidade.

Aproxima-se as ditas eleições e os angolanos estão dispostos para votar. Diz-se as eleições são ou serão justas e democráticas mas as sequelas das fraudes já estão omnipresentes como na outrora e habito. Em contexto eleitoral os africanos são recordistas no tempo de obtenção de resultados, pois em Africa já se conhece o vencedor antes do início da maratona. E Angola do MPLA pertence a família de peritos em fraudes em colaboração com Brasil e Rússia. Na lógica sociológica e politica eleger é um direito cívico nacional e patriótico, é uma responsabilidade humanista mas também um direito divino para cada cidadão duma pátria. Esse direito deve ser aproveitado porque marca a nossa própria historia como cidadão de uma Soberania. Quando as eleições são livres e democráticas, cada cidadão deve ter a liberdade e paz de eleger conforme a sua vontade; quer dizer sem sofrer pressões, influencias e que não seja teleguiado. Nesta liberdade não pode haver ameaços, medo, manipulação, promessas corruptíveis, consequências nefastas e outras formas de apertos externos. Isto é o que se chama exercer seus direitos livremente.

A escolha não deve ser instintiva, emulativa, imitativa mas tem de ser o resultado de análises profundas do eleitor. Ela não deve ser emocional mas uma reflexão calculada, para não dizer cientifica. A observação de cada indivíduo que facilita a escolha deve se basear na experiência histórica do nosso povo e de cada elemento mas também da visão ou expectativas. Como todo angolano consciente ou patriota eu perguntaria: o que fez o MPLA desde 1975? O que JES fez na sua governação desde 1979? Estas perguntas dariam luz para renovar a confiança ao MPLA e João Lourenço ou rejeita-los completamente.

No passado o MPLA prometia-nos o bem-estar social. Esta promessa caiu hoje no esquecimento porque a visão do Movimento Popular da Libertação de Angola/PT difere na dos Milionários Promovidos pelos Ladroes de Angola. Talvez a mudança de dirigentes no topo da hierarquia partidária ocasionou esta mudança de visão. A queda do murro de Berlim marcou o fim do comunismo em Angola, que logo abraçou a democracia. Logo para o dirigente angolano, a democracia tem uma definição que se completa pelos actos vergonhosos deste. Como o poder do MPLA se caracteriza por um enriquecimento rápido e escandaloso não só do dirigente mas incluindo sua parentela. Assim a riqueza de Angola continua como partilha de um grupo limitado de angolanos e estrangeiros que participem activamente na pilhagem desta terra. Este círculo que manda e determina com a mão de ferro e coração de bronze tem feito o possível para conter a maioria da população na miséria e no sofrimento.

O MPLA que prometera fazer de Angola um paraíso africano, só conseguiu ascender o fogo colocando o angolano numa temperatura atmosférica igual a do inferno, de certeza com a ajuda da domesticada Igreja. Eis a razão de tantos choros, miséria, sofrimento e desespero. Visto tudo isto, é tempo de conscientemente questionar: se em 42 anos do poder do MPLA não se conseguiu mudar o destino de Angola, como será possível agora mudar este destino num mandato? Alguém pode ter uma opinião diferente pois todos não vimos da mesma forma ou do mesmo ângulo. E a liberdade não é uma propriedade privada controlada por um clã dominante. A lógica sociopolítica prova que qualquer partido que produz um sistema nunca consegue criar um novo anti sistema para combater o velho. Assim o MPLA que fabricou ou germinou a corrupção não poderá nunca combater a mesma. A resolução da equação angolana não reside simplesmente na mudança na Presidência, pois a visão é da família com uma bandeira que tem martelo para decimar e derramando continuamente sangue da população. Diz-se: ''uma vez cão; sempre será cão'' Noutra linguagem disse-se: ''mesmo carro, mesmo motor mas só se mudou a pintura e o motorista''.

Me lembro ainda alguém que uma vez diz: ''encontrei a pobreza em Angola e não estou preparado para acabar com a pobreza dando mais que a população jovem de Angola é constituída por frustrados''. Sim com certeza já havia pobreza em Angola, e é um sujeito indiscutível, mas, a actual pobreza é fantasmada obra do MPLA! Já tínhamos a nossa pobreza mas não chorávamos como hoje. Tínhamos miséria mas comíamos a nossa mandioka. Sim, o MPLA não inventou o negativo angolano mas ajudou a instalação e expansão do negativismo, onde tudo é mais difícil para o angolano enquanto estrangeiros vão florescendo.

Para melhor ver e entender a pobreza de Angola convém ainda ou primeiro ver e analisar a fortuna de milionários angolanos que surgiram nesta década. São do MPLA, fazem parte da família MPLA e são os únicos que vivem alegremente, colonizando a maioria. Não me digam que é inveja! Desde 1992 ate hoje Angola produziu homens com mais dinheiro que o Presidente Donald Trump realizou em toda sua vida mesmo nascido já numa família cujo pai era milionário.

Este é o momento dado aos angolanos para decidir o seu futuro; momento decisivo. Estás livre de escolher; pois tem direito a escolha. Decide hoje o seu futuro, negando viver com promessas mal executadas e não cumpridas. Chegou o tempo de dizer basta as mentiras! Podem os angolanos mandar parar o comboio da miséria. Negam a pobreza e refutem o sofrimento. Escolhem um governo consciente: governo que tem alma. Então quem votar pelo MPLA, escolhe a miséria, sofrimento e escravatura. Estamos cansados ver os corpos dos nossos filhos botados aos jacarés ou mortos a tiro só porque reclamaram suas liberdades. Estamos cansados de ver os nossos pais no desemprego. Estamos cansados de contar mortos nos hospitais que são reais matadouros! Estamos cansados do MPLA, sabendo também que João Lourenço não trará nada de diferente: farinha do mesmo saco!

Quem tem ouvidos, vote pela alternância!

 

Nkituavanga II

 

sábado, 8 de julho de 2017

O DESPERTAR DE SINDIKA

Uma das heranças que foi-nos deixada pelos velhos sábios na minha terra é um adágio que diz: ''o pau mesmo demorando anos e anos nas aguas nunca se tornará jacaré'' isto explica o livro da vida e sabedoria que também diz: ''o etíope nunca pode mudar a cor da sua pele''. Actualmente na nossa sociedade corrompida e fragmentada, esta lógica é sempre combatida pela vontade manipulativa de minúsculos homens com poderes partidários e políticos que intentam ocupar a posição de Criador. Porem este homem é limitado, que nem tempo consegue controlar. Corrompendo a consciência do homem estes dirigentes acreditam, que este iria engolir qualquer sapo que for lhe colocado na boca, esquecendo que Angola tem homens capacitados para enxergar, mesmo no silencio. Portanto que o tempo vai desbobinando a verdadeira historia, já que a verdade não tem asas e nunca pode ser escondida...

Acontece que temos um cunhado, que durante longos anos fizeram-nos crer que fosse especial.  Na verdade, tanto nós como o próprio cunhado adormecemos  nesta armadilha que tem-nos hipnotizado, e finalmente ate acreditamos no inaceitável. Fala-se de um homem de negocio, um operador económico, um autor, agente e delegado da cultura africana e em particular angolana. trata-se do esposo da nossa irmã; que misteriosamente tornou-se a primeira filha do nosso querido PR, cujo por acidente da ecologia do sistema politico deste tempo e por ironia da estratégia politica preferiu ignorar a verdadeira primeira (Josefa Ngutuika), optando pela princesa Isabel. Convenceram-nos que Sindika Dokolo era diferente de outros congoleses, ou bem dizendo vulgo zairenses. O próprio Sindika tem leccionando-nos que tendo cuidado um negocio que ele ajudou crescer partindo de simples kitanda de ovos a um império financeiro, faz dele mais angolano com direitos, liberdades e regalias que o coloquem em cima da lei como outros membros do circulo presidencial. O facto de consertar laços matrimoniais com a especial donzela, único quadro divinamente capacitado para dirigir os destinos da Sonangol proporcionou ao Sindika um estatuto privilegiado e uma voz poderosa no solo angolano.

Por acaso temos tido momentâneas oportunidades de ver o Sindika quase em todos grandes capitais europeus como Londres, Bruxelas, Paris, Copenhaguem ate ultimamente em varias cidades de leste do continente carregando nas calmas as expensive bags da princesa. Este homem que por direito sanguíneo, marital e económico compartilha com a princesa mais de 4 nacionalidades (angolana, dinamarquesa, britânica, russa, belga, possivelmente portuguesa e brasileira) voltou ao seu senso reclamando a nacionalidade congolesa: é maravilhoso! Não pretendo dizer que tem ele negado a sua nacionalidade congolesa mas anunciá-la no estilo de Moisés, o libertador no Egipto é surpresa, espanto etc. Lembrais que a relação entre Angola e RD do Congo tem sido fantasmada com ambiguidade orneada pelo MPLA.

Hoje Sindika vem assumir publicamente a sua postura do filho do Congo? Não é nos mementos difíceis que se reconhece os bons amigos? Quantas vezes Angola conheceu momentos difíceis? Vimos Dokolo ajudar seus compatriotas refugiados de Kassai em Angola com vários bens. Por enquanto ontem e ainda hoje milhares morreram no Uíge com a pestilência de marburg. No Cunene morrem diariamente centenas de crianças famintas deste rico país. Nos hospitais de Luanda morrem em sucessão centenas de crianças mas Sindika nunca encorajou seu sogro, ou talvez sua esposa para ajudar a nação que há quatro décadas dirigem. Sindika tem hoje audácia de declarar que come kizaka, fumbwa e funje como todo congolês genuíno, infelizmente esqueceu de citar a carne humana como o seu sogro e seu partido MPLA diabolizaram milhares de angolanos/bakongos como canibais só porque vieram do Congo ou vivem ao longo das fronteiras com Congo. Talvez isto seja a razão pela qual hipocritamente JES disse a sua progenitura: ''o pai biológico de Josefa é uma outra pessoa que ela deve continuar de procurar''. A voz promissora de Sindika dos Santos continue dando esperança ao povo do Congo. Esperança esta que nem Dos Santos nem Isabel ou nenhum outro membro da parentela nunca deram ao angolano. Mesmo nestas paradoxas, os mais curiosos deduzem que na última hora poderá o sogro de Sindika empregar seus cães da guerra para desalojar Joseph Kabila no poder. Enquanto pensam ainda que mesmo perdendo tempos valiosos a família pode eternizar-se no poder usando um certo digitado no topo.

Também podemos agradecer pelo facto que se evitou o cenário onde teríamos a Princesa Isabel como PR de Angola enquanto na mesma onda Sindika a presidenciar no Congo Democrático. Obrigado a União Europeia que nos poupou deste macabroso cambalacho da Cidade Alta, que procurou arquitectar este first african presidential couple.

Assim se despertou o Sindika num pesadelo prolongado, com lábios tremendo e... espantou-se vendo o seu povo num primitivismo inaceitável, refuta as prerrogativas do Egipto para salvar a sua nação! E nós, quem nos salvará? Sindika patriota, pan-africanista ou oportunista? Parabéns cunhado, consigo estamos! sem desistência ate a entrada a terra prometida!

 
Nkituavanga II

 

 

sábado, 17 de junho de 2017

JOÃO LOURENÇO: A SOMBRA DE JES

Há dias que o nosso Amado Presidente era moribundo numa sofisticada cama hospitalar em Espanha. Só teria lá ser porque Angola não tem hospitais capacitados para tal missão, talvez diria que o MPLA nunca pensou investir num hospital adequado no seu território. Alem de falarmos da falta de confiança deste partido aos técnicos da medicina angolana. No terreno as flutuantes emoções eram fortes e o desespero era visível entre os dirigentes. O seu regresso sustenta a minha tese; vimos uma colossal presença na sua recepção no Aeroporto, que evidenciou muitas exclamações, reticencias e hipóteses. Contudo, durante esta hospitalização muitos angolanos como eu tivemos orando. Eu implorei os deuses angolanos que dessem vida ao nosso PR. Que dessem tempo ao nosso PR assistir as ocorrências do processo eleitoral ate o seu fim. Que dessem oportunidade ao nosso PR festejar publicamente num futuro próximo a fraudulenta vitoria arquitectada pelo seu partido. Que finalmente dessem ocasião ao nosso PR lacrimejar as absconsas a real e verdadeira derrota do seu partido decidida pelo bravo povo.
 
Cada dia, conforme o calendário da CNE aproxima-se as injustificadas eleições angolanas. Um processo desenhado para arruinar milhões de dólares; quando o nosso dilapidado e desprotegido povo sofre. Uma aventura louca que já tem um destino e um vencedor antecipado, que puramente serve de figura decorativa para provar ao mundo aquilo que somos enquanto não somos; hipocrisia. Neste processo, diria parabéns a oposição e igreja que são cheap acompanhantes para oficializar a posição do MPLA. Também diria parabéns ao João Manuel Gonçalves Lourenço, o previsto vencedor desta macabrosa manipulação.
 
Angola acedeu a independência em 1975 com um governo marxista, que actualmente por ironia do destino continue no poder. Agostinho Neto foi o primeiro Presidente ate quando foi-nos raptado inesperadamente pela morte em 1979. Pouco importa o que aconteceu dentro da nomenclatura partidária; todavia José Eduardo dos Santos foi digitado para continuar a obra de Neto. No seu vivido juramento, que me lembro ainda como se fosse ontem, JES prometeu não esquecer nenhuma virgula entre os ensinamentos de Neto: que fidelidade! Tempos depois, JES mudou escrupulosamente de cor tendo dentes e garras bem afiados. Por consequência o malogrado Neto tombou no obscuro e no completo esquecimento. Nasceu assim o novo MPLA e a nova Republica. Solitário no poder JES alterou o rumo da nação dirigindo com um braço de ferro ate a dita passagem do totalitarismo a democracia. Angola persegue ate hoje um percurso confuso, sem ideologia politica nem direcção económica. Passou-se o tempo das guerras e terminou-se também com tais ''desculpas'' mas a caótica situação de Angola foi-se agudizando. O saldo geral do reinado de JES é realmente negativo ao quadrado em todas as esferas, embora que houve algumas realizações de péssimas qualidades em Luanda. A herança que será legada por Dos Santos será uma lista prolongada de milionários criados e inventados pelo regime mamando o sangue e suor de um povo miserável, sofredor e desesperado.
 
A brilhante e orneada oportunidade que JES obteve, substituindo Neto na cadeira presidencial, não será a mesma brindada ao JLo. Este tem a responsabilidade não só de dirigir Angola, mas uma Soberania tendo no seu seio um circulo e clã presidenciais com um estatuto especial. Ele vendeu a sua alma jurando em sigilo pelo pescoço de um JES, que lhe restará omnipresente em tudo. Ele terá pouco espaço de manobras politicas, económicas e jurídicas. JES que na outrora tinha pelo pescoço de um ''defunto físico'' jurado, conseguiu desviar a linha de Neto e redigir uma nova historia eduardista caracterizada pelo enriquecimento supersónico. JES soube adaptar um jogo duro, de batota onde se precipitou enviar seus colegas da revolução numa aposentação prematura. Em tudo fez com que ficasse na posição de jogador, capitão da equipa, arbitro e comissário de jogo ao mesmo tempo. Fez-se mestre solitário num terreno onde é proibido tossir, gracejar e mesmo raciocinar.
 
Desde que JES vive ainda, JLo nunca terá mãos livres para implementar seus próprios planos, para exercitar suas capacidades e colocar ao serviço do povo suas iniciativas. Ele tem mais probabilidades de operar como fotocopia de JES, assim será autentico penumbra deste. Não é bom nem fácil continuar a obra negativa de um ''falhado'' e melhorar os objectivos enquanto teleguiado. Aqui não se pretende acelerar a morte inevitável de JES, porem é preciso sermos realistas. Vivo como morto, JES será sempre um problema, ate incluindo a sua família. Só valorizando o povo é que JLo poderia sair desta armadilha e nó, que auto-colocou no pescoço, cortando assim as correntezas amarradas nos seus braços e sair deste minado ninho onde deseja repousar. Contudo é quase impossível trabalhar bem e contribuir positivamente quando ganha-se as eleições com fraudes. Especialmente quando vive-se num meio corrompido, onde o bolso do governo pertence a quem monopolize o poder. Tem de ser um artista pro para desempenhar a função de cego, quando este não é.
Espera-se que JLo saiba se desmarcar destas ideologias ilógicas que amplificam o sofrimento do nosso povo. Embora milionário pode ele com a sua fortuna ajudar os angolanos reconquistar sua visão, esperança e rumo perdidos. Ele tem o direito de amar Angola e angolanos se na realidade tem nas suas veias sangue angolano: verdadeiro patriota. O tempo vai-nos dizer algo.
 
 
Nkituavanga II
 
 

sexta-feira, 14 de abril de 2017

ISABEL DOS SANTOS: DIARREIA VERBAL

Ultimamente temos assistido em varias justificações infinitas e inúteis que provenham da Princesa angolana Isabel dos Santos; a mulher mais poderosa de Angola e mais rica de Africa. Gostaria de emprestar aqui uma dica francesa ''qui s'excuse s'accuse'' que tanto o cunhado Sindika como a própria princesa conhece o significado. Ela intenta se omnipresentar positivamente na consciência angolana para justificar o injustificável mesmo em tribunais angolanos. Qual surdo em Angola precisa duma explicadura da donzela?

Isabel não tem uma consciência livre e procure defender-se contra uma inteira nação manipulada economicamente durante longos e prolongados anos. Desamparada e continuamente assustada, ela com certeza tem sido fantasmada da sua própria sombra, por isso em qualquer espaço que tiver, torna-se restritamente proibido aos passantes de gracejar, já que ela automaticamente deduz que riem-se dela. Assim concebeu uma lógica pessoal que faz com que em Angola ninguém pode exprimir-se livremente, porque ela pensa que fala-se mal dela. Neste âmbito afundou na estratagema de combater tudo e todos. Essa diarreia verbal é mesmo resultado de ''engolir o alheio''. Portanto saiba dona Isabel que o silencio não é fraqueza  nem tão pouco estupidez.

Estimaria de compartilhar uma experiência que tanto Isabel como Dokolo nunca viveram e não tem possibilidades de um dia conviver. Na nossa vida rural, no mato, ou bem dizer nos kimbos quando alguém desperdiça algo valioso, consulta-se o soba da aldeia. Este, na sua vez vai esperar ate que todos regressem das suas obrigações diárias, nas tardinhas. O soba vai prenunciar, clamando duma ponta da aldeia a outra apelidando quem furtou a devolução num tempo determinado. A sua mensagem será direita e clara pois tem se a certeza que o objecto foi bem roubado. Infelizmente quem arriscar responder esse apelo é logo visto e considerado de suspeito gatuno, e merece ser imediatamente investigado. Na maioria dos casos (99,99%) averigua-se correcto.

Na sua lógica, ora vendia ovos, com o tempo vendeu seu carro e depois arranjou um emprego que lhe oferecia milhões mensalmente. Isto tudo ocorreu num planeta chamado Angola. Isabel.., Isabel.., Isabel...''é possível driblar uma nação um dia mas não possível ludibriar um povo todos dias''. Tu és livre e não tem que se justificar a ninguém, uma vez Angola é seu bolso. Angola foi sempre um património privadíssimo da sua parentela; o quintal do velho onde quem não manda cumpre!

Escute mana, fizeste um nome e és tão grande, continua caminhando gloriosamente com sapo na garganta. Diz-se ''vale mais a honra bem acumulada de que a riqueza mal aglomerada'' Parabéns! Contudo, depois da festa vem sempre a fome, e já não é tempo de negociar simpatias. Se deparar hoje com Cristo lhe pediria nas calmas que entregasse toda a sua riqueza a sua irmã maior Josefa Ngutuika, assim a equação deste imparável diarreia será resolvida.

 
Nkituavanga II